Telemóveis e serviços em pacote geram mais queixas junto da Anacom

Entre julho e setembro o número de queixas motivadas pelos serviços de comércio eletrónico diminuiu, mas só na comparação com os três meses anteriores. Face ao mesmo período do ano passado, os portugueses têm mais razões de queixas.

Os números revelados recentemente pela Anacom indicam que no terceiro trimestre do ano foram recebidas pelo regulador 14.476 reclamações. Neste universo destacam-se as queixas relacionadas com os serviços móveis, que cresceram 24,6%, face ao mesmo trimestre do ano anterior e aos serviços em pacote, que geraram 23,5% mais queixas. 

Os utilizadores de telemóveis apresentaram no período em análise cerca de 4 mil queixas à Anacom. Em destaque estiveram questões relacionadas com avarias dos equipamentos. Nos serviços em pacote, entre 3.746 queixas recebidas destaque para as informações prestadas quando o serviço é vendido ou para processos e cancelamento. 

A Internet e a televisão distinguem-se dos móveis e do multiplayer, com um número de queixas muito menor: 1.299 no caso da Internet e 829 no que se refere aos serviços de TV. No primeiro caso sobretudo devido a questões relacionadas com a velocidade contratada ou avarias. No segundo, voltam a ser as informações prestadas no momento da venda do produto o principal motivo de queixa. 

A rede fixa afirma-se como serviço que menos motivo para reclamar dá aos utilizadores, que quando se queixam apontam sobretudo questões relacionadas com a portabilidade do número. Entre julho e setembro, o fixo motivou 539 reclamações. 

O número de queixas recebidas pela Anacom entre julho e setembro representa uma diminuição de 17% face ao segundo trimestre, mas um crescimento de 11,8% no que se refere aos números apurados para o ano anterior, na mesma altura.

 

 

 

Tek

Tags: Telemóveis, serviços, pacote, queixas, Anacom